Aldo Della Rosa e Jorge Gerdau Johannpeter

bravence-aldo-della-rosa-jorge-gerdau-johannpeter-inovação-somos-inovadores-polos-comerciais-pgqp-mbc-sao-paulo
Aldo Della Rosa e Jorge Gerdau Johannpeter, Presidente do Conselho do Grupo Gerdau

Jorge Gerdau Johannpeter é o presidente do conselho de administração do Grupo Gerdau. Com forte atuação na busca pela eficiência e qualidade da gestão nos setores público e privado, Jorge foi fundador do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade e do Movimento Brasil Competitivo. É membro da Academia Internacional da Qualidade, da Academia Brasileira da Qualidade e integra o Conselho da Fundação Nacional da

Qualidade. Nas áreas de educação e cultura, preside o Conselho de Governança do movimento Todos pela Educação e o Conselho da Fundação Iberê Camargo, é vice-presidente do Conselho da Fundação Bienal do Mercosul e integrante do Conselho da Parceiros Voluntários.

Segundo pesquisa da consultoria europeia Merco, Jorge Gerdau foi eleito o líder de melhor reputação do Brasil em 2014. Atua também como membro do Conselho do Instituto Aço Brasil, do qual foi presidente durante duas gestões. Faz parte do Conselho Superior Estratégico da Fiesp e do Conselho Consultivo do escritório do David Rockefeller Center for Latin American Studies no Brasil, mantido pela Universidade de Harvard.

O caminho até a presidência

Com quatorze anos, durante as férias escolares, operou na fábrica da família as máquinas de produção de pregos, convivendo com os operários. À tarde, trabalhava no escritório, aprendendo a tirar notas fiscais; à noite, estudava contabilidade. Em 1957, cursou como aluno o Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de Porto Alegre, estabelecimento de ensino do exército brasileiro. Ao final deste mesmo ano foi declarado Aspirante à Oficial da Reserva da Arma de Cavalaria. No ano de 1961, formou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Na década de 1960, quando auxiliava o pai na condução dos negócios, percebeu que era o momento de expandir e comprou a Fábrica de Arames São Judas, em São Paulo. A próxima compra seria a Siderúrgica Açonorte, em Pernambuco. Em 1972, adquiriu a Companhia Siderúrgica da Guanabara. A partir daquele momento, o Grupo Gerdau entendeu que era preciso sair do Rio Grande do Sul e, mais tarde, ultrapassar as fronteiras do país, a fim de não perder a competitividade.

Desde 1973, faz parte do Conselho de administração. Em 1983, tornou-se o diretor-presidente do Grupo Gerdau, justamente no momento em que o grupo se tornou um dos grandes conglomerados siderúrgicos do mundo. Ocupou tal cargo até 2006.

Outras funções

Presidente do Conselho Superior do Movimento Brasil Competitivo (MBC)
Líder do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP)
Presidente do Conselho do Prêmio Qualidade do Governo Federal
Membro do Conselho da Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade
Membro do Conselho-Diretor do International Iron and Steel Institute (IISI)
Conselheiro do Instituto do Aço Brasil
Presidente do Conselho de Administração de Açominas
Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social do Governo Federal
Membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI)
Membro do Conselho de Governança do Instituto Millenium ( profile)
Membro do Conselho de Administração da Pólo RS – Agência de Desenvolvimento
Presidente do Conselho Consultivo da Junior Achievement Brasil

 

Você também poderá gostar...