Com empreendedorismo em alta, trading esportivo surge como oportunidade de negócio

Nunca foram abertas tantas empresas no Brasil quanto em 2017. É o que revelam os números levantados pela Serasa Experian, que acompanha a taxa de abertura de negócios desde 2010. De acordo com a consultoria, foram abertos 2.202.622 Cadastros Nacionais de Pessoa Jurídica (CNPJs) em 2017.

O recorde histórico se dá no mesmo período no qual se constatou que a recuperação econômica vai a passos muito mais lentos do que a população imaginava. Também em 2017, o desemprego bateu uma alta histórica: a população economicamente ativa desocupada ficou em 12,7% de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Empreender é opção durante crise econômica

É praticamente unânime entre especialistas que os altos números referentes à abertura de empresas são consequências do difícil momento econômico pelo qual o Brasil passa. O Sebrae afirma que entre meados de 2014 e 2017, mais de 11 milhões de negócios foram abertos por pessoas desempregadas que, devido ao mercado de trabalho reduzido e competitivo, tiveram que arregaçar as mangas e criar a fonte do próprio sustento. São os chamados empreendedores por necessidade.

Isso significa que a maior parte destas novas empresas atua em segmentos que não exigem um alto investimento inicial. Afinal, a maioria delas são abertas com a indenização que os proprietários recebem após a demissão ou com suas economias.

O comércio é campeão absoluto entre os negócios que nasceram em 2017: mais de 60% são deste segmento. Em segundo lugar está a alimentação, com pouco mais de 8%. Ambas são atividades que podem ser praticadas sem uma empresa física, dentro de casa ou indo até os clientes.

Microempreendedores individuais (MEIs) dominam mercado

Outro traço peculiar do atual empreendedor brasileiro é que ele, em grande parte, é um profissional autônomo. A Serasa Experian afirma que, de todos os CNPJs abertos em 2017, 78,7% corresponde a Microempreendedores Individuais (MEIs). Em números absolutos, isso significa 1.733.061 novas microempresas no mercado.

A popularidade deste modelo de empreendimento se dá por conta de sua rapidez, simplicidade e baixo custo. A empresa pode ser aberta diretamente pela internet, dispensa a contratação de um contador e pode custar no máximo R$ 100 por mês em tributos. Do mesmo modo, há uma ampla gama de atividades que podem ser regulamentadas sob este modelo.

Mercado digital cria novos segmentos de atuação para empreendedores

Apesar de setores tradicionais, como o comércio e a alimentação, ainda serem soberanos entre os novos negócios, a tecnologia e a internet permitem a atuação em novas áreas. Além disso, estas soluções dão vida nova a profissões que já existiam, mas que tiveram seu modo de trabalho reinventado graças à digitalização. É o caso dos traders esportivos.

O trader esportivo

Em meio à difícil situação do país e do mercado de trabalho, o trading esportivo é uma solução interessante tanto para quem busca uma renda extra quanto uma nova forma de sustento.

O trading está para o esporte como a bolsa de valores está para empresas que vendem ações. Os traders esportivos trabalham com compra e venda de possibilidades (odds) de um resultado em uma partida de determinada modalidade esportiva. O trading esportivo é popular entre os apreciadores de jogos de cassino online, já que também há muita estatística e algum risco envolvidos.

A grande vantagem deste investimento ainda relativamente desconhecido é que, enquanto uma ação da bolsa de valores pode demorar meses ou anos para tornar-se lucrativa, é possível lucrar com o trading esportivo em poucas horas. Por exemplo: caso o investidor opte por apostar no futebol e vencer, ele poderá obter lucro ao final dos 90 minutos da partida. Outra vantagem é que o trader pode modificar suas estratégias sendo possível comprar e vender odds ao longo da duração de uma partida.

Além disso, o trader esportivo não precisa de um alto investimento inicial. Tudo o que ele precisa é um conhecimento aprofundado sobre a modalidade, atletas e equipes nos quais ele aposta, além de algum conhecimento a respeito de estatística, probabilidades e mercado financeiro, informações estão disponíveis gratuitamente na internet.

Munido destes dados, o trader pode começar investindo um pequeno valor, multiplicando-o e fazem apostas cada vez maiores. Na verdade, o início poderá não demandar risco algum, já que os primeiros investimentos podem ser feitos utilizando os bônus normalmente disponibilizados pelos sites de apostas.

Planejamento é fundamental para obter sucesso no empreendedorismo

O trading é um trabalho analítico e meticuloso. Portanto, por mais que não exija um investimento considerável, exige planejamento.

Além de estudar modalidades, equipes e atletas, trabalho que deve ser contínuo para estar sempre por dentro das principais probabilidades, é preciso escolher qual será a plataforma usada como apoio. Assim como no caso de jogos de cassino, o trading pode ser praticado online, em sites especializados. É importante que o site escolhido esteja hospedado em outro país, já que a legislação brasileira veta os estabelecimentos especializados em território nacional.

Por fim, é importante declarar os valores obtidos à Receita Federal. Com o dinheiro devidamente legalizado, o trader evita problemas com as autoridades.

Dessa forma, a renda recebida por meio das apostas esportivas deve ser incluída na Declaração Anual de Imposto de Renda, apenas em caso de saque do dinheiro para a sua carteira virtual ou conta bancária. A declaração do ganho de capital fica dispensada caso os ganhos permaneçam na sua conta da bolsa esportiva.

Você pode gostar...