“Existe capacidade para colocarmos o Brasil no mapa do empreendedorismo”

Bruno Aranha, gerente da área de gestão de participações do BNDES, acredita que o empreendedor brasileiro deve entender que “está construindo um negócio para o mundo”

Um total de R$ 10 milhões. Esse é o orçamento que estará disponível para Bruno Aranha, gerente da área de gestão de participações do BNDES, coordenar o programa BNDES Garagem. Porta-voz da iniciativa lançada no início de julho, que vai apoiar a criação e aceleração do desenvolvimento de startups no país, Aranha acredita que o mercado brasileiro está se desenvolvendo rapidamente – com destaque para São Paulo, Santa Catarina e Recife.

A percepção do gerente encontra ecos na realidade do mercado, uma vez que o país tem se beneficiado do apetite de investidores que buscam investir em startups na América Latina, conforme destacou um levantamento da LAVCA, associação latino-americana de fundos de capital de risco, divulgado neste ano. “Existe muito espaço ainda, mas a perspectiva é positiva”, afirmou o gerente do BNDES em entrevista a Época NEGÓCIOS. Na conversa, Aranha explicou detalhes do programa BNDES Garagem, explicou sobre o projeto de construção de um centro de inovação e empreendedorismo no Rio de Janeiro e compartilhou suas perspectivas sobre o mercado no Brasil.

Você também poderá gostar...