Índice Global de Inovação

ALDO DELLA ROSA PALESTRANTE INOVAÇÃO INNOVATION CANOAS PORTO ALEGRE SÃO PAULO BRAVENCE FIERGS FIESP FIRJAN CNI 15

O Índice Global de Inovação 2013, divulgado em julho pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), Instituto Insead e Universidade Cornell, classificou a dinâmica inovativa de 142 países. Segundo o relatório, o Brasil está no 64º lugar no cenário mundial de inovação e 8º colocado na América Latina. A Costa Rica lidera no grupo dos latino-americanos, e ocupa a 38ª posição global; seguida do Chile, que é o segundo mais inovador na região e o 46º no mundo. Também entre as posições de destaque está a Colômbia, no sexto lugar na América Latina e 60º na classificação geral. Diretores da Inventta no Brasil e na Colômbia analisam o panorama da inovação de seus países.

Eles apontam o contexto político, as tendências e os desafios para o progresso. As nações estão emergindo em inovação, mas ainda há pontos a superar. No entanto, a riqueza, a criatividade e a capacidade características dos latino-americanos permitem perspectivas de desempenhos potenciais. Guilherme Pereira – Sócio-diretor da Inventta: “A inovação na América Latina tem se consolidado nos últimos anos. Entretanto, os atores da inovação ainda enfrentam problemas típicos de um sistema relativamente jovem, como dificuldades em aspectos jurídicos e em viabilizar projetos de inovação. Contudo, o Brasil possui grandes diferenciais frente o cenário mundial: a riqueza da biodiversidade, o potencial de inovação em insumos, o olhar atrevido e criativo, e a competência científico-tecnológica nas instituições de pesquisas e nas empresas.

Os atuantes no sistema inovativo estão aprendendo com suas primeiras experiências e entendendo como intensificar e transbordar o potencial que se forma nos países. As nações mais maduras em inovação possuem ecossistemas diversos e adensados, e, assim, é natural que efetivem projetos mais robustos. No Brasil, ainda são realizadas inovações pontuais e faltam inovações sistêmicas e sociais. Estes são os desafios e as tendências para o progresso do país nesse campo: envolver empresas em posições diferentes na cadeia de valor para promover inovações de rede e de modelo de negócios. Muitas empresas têm tecnologias fantásticas, mas não conseguem dar vazão ao impulso empreendedor. Fala-se muito de inovação tecnológica, mas faltam competências mercadológicas. Para isso, é preciso trabalhar na formação humana, do ensino básico ao superior.

É uma questão de transformar o modo como as pessoas percebem e encaram o mundo. Esse fator é o mais complexo, mas pode gerar elevada mudança.” Mauricio Reyes – Diretor da Inventta na Colômbia: “Em contraponto ao ranking, que indica a Colômbia à frente do Brasil em inovação, acredito que a dinâmica brasileira ainda é superior, embora a Colômbia tenha progredido em alguns aspectos, como ao apresentar mais visibilidade nas políticas públicas para a Ciência, Tecnologia e Inovação (C,T&I). O governo colombiano, em 2010, definiu a inovação como um motor de desenvolvimento. Realizou ações, como a destinação de 10% dos royalties de mineração e hidrocarbonetos para a C,T&I – US$ 520 milhões por ano – ; e o aumento da cota para os incentivos tributários para C,T&I e dos percentuais dedutíveis.

Para avançar ainda mais, são necessárias políticas que estimulem e facilitem o investimento e o aproveitamento dos resultados. No país, atualmente, há um grande impulso ao empreendedorismo, principalmente nas áreas de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs). Isso também é percebido com força no Chile e no Brasil – que têm se desenvolvido mais, tanto no modelo spin off quanto no de venture capital. Na Colômbia e no Brasil, destacam-se o uso das capacidades de pesquisa para alcançar a inovação tecnológica. No contexto mundial, os processos de inovação aberta têm sido mais ágeis e com maior impacto nas indústrias e nas exportações. No sentido dessa tendência, destaco uma iniciativa da Innpulsa – agência de inovação do governo da Colômbia.

A unidade lançou, no final de 2012, uma estratégia para promover a inovação aberta com fornecedores nacionais nas grandes empresas colombianas de mineração e de hidrocarbonetos, como Ecopetrol, Argos, Independence Drilling e Tipiel, no ambicioso projeto Piage. A ação está sendo acompanhada pela Inventta para estruturar e realizar os processos de open innovation. O objetivo da Innpulsa é promover o desenvolvimento da indústria que presta serviços aos setores de mineração e energia. Se houver êxito, o trabalho será replicado em outras áreas. A Colômbia reúne muitos fatores para ter uma economia bem sucedida e uma sociedade desenvolvida.

A inovação e o empreendedorismo formam a estratégia de avanço mais acertada para as características do país.” Manuela Soares – Sócia-diretora da Inventta+bgi: “Com o objetivo de apoiar a execução de projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) nas empresas, desde o início de 2013, o governo brasileiro, por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), publicou diversos editais setoriais, como Subvenção (nos campos da Nanotecnologia e das TICs, por exemplo), Inova Saúde, Inova Agro, entre outros.  Essas iniciativas representam um bom sinal de que o governo está comprometido em aumentar os investimentos em C,T&I no Brasil. Por um lado vemos o número de empresas brasileiras inovadoras aumentarem, segundo a Pintec 2008, porém, por outro lado, percebe-se um aumento tímido no número de beneficiárias da Lei do Bem, e ainda há uma baixa procura pelas fontes públicas financiamento.

Além de outros obstáculos como desconhecimento das oportunidades e burocracia dos processos.  Portanto, ainda é necessário trabalhar na eficiência desses instrumentos, bem como na avaliação dos efetivos impactos do uso dos mecanismos de fomento. É preciso, principalmente, otimizar essas ferramentas para estimular cada vez mais as empresas a inovarem, independentemente do porte.”

<>

The Global Innovation Index 2013 , released in July by the World Intellectual Property Organization ( WIPO ) , Insead Institute and Cornell University , described the innovative dynamics of 142 countries . According to the report , Brazil is in 64th place on the global stage for innovation and 8th place in Latin America. Costa Rica leads the group of Latin American and occupies the 38th position overall , followed by Chile , which is the second most innovative in the region and 46th in the world . Also among the prominent positions in Colombia is in sixth place in Latin America and the 60th overall. Directors Inventta in Brazil and Colombia analyze the innovation landscape of their countries.

They point out the political context , trends and challenges for progress. The nations are emerging in innovation , but there are still some issues to overcome. However , the richness , creativity and capacity characteristics of Latin American perspectives allow potential performances . Guilherme Pereira – Managing Partner of Inventta : “Innovation in Latin America has consolidated in recent years . However , innovation players still face problems typical of a relatively young system, such as difficulties in legal aspects and enable innovation projects. However , Brazil has large differentials across the world stage : the richness of biodiversity , the potential for innovation inputs , the bold and creative look , and scientific and technological competence in research institutions and companies .

The innovative system are active in learning from their early experiences and understanding how to intensify and spill over the potential that forms in countries . The most mature nations in innovation ecosystems have diverse and dense , and thus it is natural that enforce more robust designs . In Brazil , timely innovations are still held and lacks systemic and social innovations . These are the challenges and trends for the country’s progress in this field : companies involved in different positions in the value chain to promote innovations and network business model .

Many companies have great technology , but fail to give vent to the entrepreneurial impulse. There is much talk of technological innovation , but lack marketing skills . To do so , we must work on human development , from basic to higher education. It is a matter of transforming the way people perceive and see the world . This factor is more complex, but can generate high change ” Mauricio Reyes – Director of Inventta in Colombia .” In contrast to the ranking , indicating Colombia ahead of Brazil in innovation , I believe the dynamic Brazilian is still higher, although Colombia has progressed in some respects like the present more visibility in public policy for Science , Technology and Innovation ( ST & I) . The Colombian government , in 2010 , defined innovation as an engine of development .

Held shares , as the destination of 10 % of royalties from mining and hydrocarbons to C , T & I – $ 520 million per year – and the increase of the quota for tax incentives for R, D & I and the deductible percentage . To proceed further , necessary policies that encourage and facilitate investment and exploitation of results are . In the country , there is currently a great impetus to entrepreneurship , especially in the areas of Information and Communication Technologies ( ICTs ) . It is also perceived strongly in Chile and Brazil – which have developed more , both in the model and in the spin-off venture capital . In Colombia and Brazil , we highlight the use of research capabilities to achieve technological innovation .

In the global context , the processes of open innovation have been more agile and more impact on industries and exports. Towards this trend , highlight an initiative of Innpulsa – innovation agency of the government of Colombia . The unit launched in late 2012 , a strategy to promote open innovation with national suppliers in major Colombian mining and hydrocarbon companies like Ecopetrol , Argos , Independence Drilling and Tipiel in Piage ambitious project. The action is being accompanied by Inventta to design and carry out the processes of open innovation . The goal of Innpulsa is to promote development of the industry that provides services to mining and energy.

If successful, the work will be replicated in other areas . Colombia meets many factors to have a successful economy and a developed society . Innovation and entrepreneurship form the path forward right one for the country’s characteristics ” Manuela Soares – Partner and Director of Inventta + bgi ” . Aiming to support the implementation of projects of research and development ( R & D ) in business since early 2013 , the Brazilian government , through the Financier of Studies and Projects ( FINEP ) , published several notices sector as subsidy ( in the fields of Nanotechnology and ICT , for example) , Inova Health , Agro Inova , among others . These initiatives represent a good sign that the government is committed to increase investment in R, D & I in Brazil .

On the one hand we see the number of Brazilian innovative firms to increase , according to Pintec 2008, however , on the other hand, noticed a slight increase in the number of beneficiaries of the Good Law , and there is a low demand for public funding sources . And other obstacles such as lack of opportunities and bureaucratic processes . Therefore , further work is needed on the effectiveness of these instruments , as well as evaluation of the impacts of the use of effective support mechanisms . It takes mainly optimize these tools to stimulate increasingly enterprises to innovate , regardless of size . ”

ALDO DELLA ROSA | inova@aldodellarosa.com | www.aldodellarosa.com

 

Você também poderá gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.