Inteligência artificial é algo mais profundo do que fogo ou eletricidade, diz CEO do Google

A inteligência artificial é uma das coisas mais importantes que a humanidade está trabalhando atualmente. É algo mais profundo do que eletricidade ou o fogo”. Quem defende é o CEO do Google, Sundar Pichai, que afirmou que ajudar a moldar o futuro da tecnologia não é apenas uma opção para as empresas americanas. É uma necessidade de todos. “A história nos mostra que os países que recuam diante das mudanças não se beneficiam delas. Precisamos aproveitar todas elas”.

Pichai fez a reflexão durante bate-papo com Susan Wojcicki, CEO do Google, mediado pelos jornalistas Kara Swisher e Ari Melber. A conversa irá ao ar na próxima sexta-feira na rede de televisão americana MSNBC.  Ao fundo de onde eles estavam sentados, uma tela projetava a imagem de HAL, o computador de 2001: Uma Odisséia no Espaço. No filme, HAL é responsável pelo controle da nave e, em determinado momento, entra em colapso – colocando todos em perigo. A referência a HAL não era fortuita.

Segundo narrou a Fast Company, um dos tópicos da conversa envolveu o avanço da inteligência artificial e os executivos foram questionados se as pessoas deveriam temer, já em 2018, o avanço dela. “Em 2018, as pessoas devem temer que percamos o controle sobre a IA e que essa tecnologia ameace empregos ou mesmo a existência da humanidade?”.

Susan Wojcicki afirmou que as preocupações envolvendo o desenvolvimento desta inteligência são legítimas, mas que precisamos conhecê-la a fundo antes de tirar conclusões precipitadas. “Quanto mais as pessoas sabem sobre a tecnologia, menor a probabilidade de temê-la. Pessoalmente, não estou muito assustada porque acredito que tenho uma boa compreensão sobre o que é a inteligência artificial”, disse. Já Pichai afirmou que é “justo estarmos preocupados com a inteligência arficial” e que, no caso do Google, não há uma visão somente otimista sobre o assunto. “Nós queremos ser muito ponderados sobre a IA”.

Você também poderá gostar...