Painel sobre novos trajetos para a América Latina abre o 31º Fórum da Liberdade

Para dar início às atividades do 31º Fórum da Liberdade, que acontece hoje (9) e amanhã (10), no Centro de Eventos da PUCRS, o primeiro debate trouxe como tema Um novo trajeto para a América Latina. Com mediação de Pedro De Cesaro, diretor de Relações Institucionais do IEE, o painel teve a participação de Miguel Otero, CEO do jornal venezuelano El Nacional, Carlos Mesa, ex-presidente da Bolívia, e Ricardo Gomes, vereador de Porto Alegre e ex-presidente do IEE.

O painel iniciou com uma reflexão sobre a história do país, feito pelo diretor de Relações Institucionais do IEE, Pedro De  Cesaro. Em seguida, Ricardo Gomes resumiu a situação política do país e fez um panorama que dividiu em três ondas: ética, democrática e econômica. “A história do Brasil parece repetir a história do continente. A mesma que nós ignoramos. E vemos isso através do MERCOSUL. Ele é uma fantasia, que deu-se a partir de uma certa abertura econômica”, afirmou. 

Já o CEO do Jornal venezuelano El Nacional, Miguel Otero, trouxe um relato sobre a situação atual da Venezuela e falou de um dos perigos que ele considera o grande fantasma dessa época: o populismo. “Chaves se mostrou um líder carismático. Quando chegou ao poder, virou autoritário e impôs um modelo econômico bizarro, que anula as instituições e consolida a ditadura”, disse. O empresário, que vive em regime de exílio em Madri desde 2015, afirmou ainda que espera anunciar a liberdade do seu país. “Eu, como dono de jornal, tenho certeza que ainda vou anunciar que a Venezuela saiu dessa”, afirmou Otero, que também foi homenageado do Prêmio Liberdade de Imprensa, reconhecimento conferido aos profissionais que preconizam a liberdade de imprensa e que se dedicam ao desenvolvimento do pensamento crítico.

Para Carlos Mesa, ex-presidente da Bolívia, o gargalo está em um grande estado imperial, com poder, porém, com grande autoritarismo. “A realidade latino-americana é complexa porque os dois países mais importantes da região – México e Brasil – propõem grandes questionamentos, de diversos tipos”, ressaltou. Mesa afirmou ainda que os brasileiros têm tendência em olhar o mundo, mas não percebem o peso que possuem na América Latina. “Vocês são, na América do Sul, a metade do total de território Sul-americano e representam mais da metade do PIB. O que vocês fazem, bem ou mal, afetam o conjunto da região”, disse.

Após uma rodada de perguntas, o painel encerrou-se com Ricardo Gomes ressaltando que, enquanto a constituição permitir um grande Estado, que comanda empregos e empregadores, não permitirá uma economia de Estado. “Um estado grande o suficiente para te dar tudo o que tu pedes, é forte o bastante para tirar tudo o que tu tens”, concluiu.

O Fórum da Liberdade é promovido pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE) e reconhecido como o maior espaço de debate político, econômico e social da América Latina.

Sobre o IEE

O Instituto de Estudos Empresariais foi fundado em Porto Alegre há mais de 30 anos por 20 integrantes. A entidade tem como intuito a formação de jovens lideranças empresariais que se comprometam com um modelo de organização social e política para o Brasil baseado no ideal democrático de liberdades individuais e orientado à defesa e manutenção dos valores da economia de mercado e da livre-iniciativa. Desde 1988 o IEE promove anualmente o Fórum da Liberdade – consagrado nacionalmente e considerado o maior evento liberal da América Latina.

Você pode gostar...