Série do jornal O Globo é a grande campeã do Prêmio CNI de Jornalismo 2015

O trabalho mostrou as vantagens e gargalos do transporte de mercadoria pelo mar e levou o prêmio também na categoria Impresso Jornal. Nesta quinta-feira (30), também foram conhecidos os vencedores nas outras quatro categorias, os destaques de cada região e os premiados em Educação e Inovação.

Vencedores do Prêmio CNI de Jornalismo 2015
Vencedores da 4ª edição do Prêmio CNI de Jornalismo durante cerimônia, em Brasília.

Os vencedores do Prêmio CNI de Jornalismo 2015 foram conhecidos na noite desta quinta-feira (30), em Brasília. Os 11 trabalhos premiados abordam temas ligados ao setor industrial, incluindo os especiais de Educação e Inovação. O Grande Prêmio José Alencar de Jornalismo, dado à melhor reportagem dentre todos os premiados, ficou com a série “Quando o mar vira estrada“, do jornal O Globo.

Nas reportagens, o jornalista Henrique Gomes Batista mostra detalhes de um dos setores de maior expansão no país, o transporte de mercadorias pelo mar na costa nacional, a cabotagem. Durante 17 dias, ele acompanhou um barco de contêineres de Santos, maior porto da América Latina, a Manaus. A reportagem também destaca a situação dos portos brasileiros, que vai desde terminais obsoletos a outros com nível internacional. Além do Grande Prêmio, a série acumulou outro, na categoria Impresso Jornal.

Henrique Gomes Batista contou que a intenção foi mostrar a realidade de um setor extremamente importante para a economia. “Eu não imaginava e devo muito ao Domingos Peixoto, o fotógrafo que me acompanhou nessa jornada. O que me chamou atenção é a qualidade dos concorrentes. É impressionante como esse prêmio, com apenas quatro anos, já se tornou uma premiação de excelência. Eu vi várias matérias ótimas e que também mereciam ser premiadas. É um reconhecimento duplo e que vale muito”, diz.

A TV Globo também faturou dois prêmios. A série “Start Ups“, do Jornal da Globo, venceu na categoria Telejornalismo e na especial de Inovação. A reportagem acompanhou, por mais de um ano, a trajetória de três empresas, desde a abertura, apontando quem conseguiu manter o negócio e quem não tirou a ideia do papel.

A jornalista Renata Ribeiro representou a equipe responsável pela série. “A gente ainda está em estado de choque com esses dois prêmios. Acho que é importante porque a CNI é uma instituição reconhecidíssima no Brasil e no mundo, então é um aval dizendo que a gente fez um bom trabalho. Startup significa inovação e, na minha opinião, é disso que o Brasil precisa para se tornar competitivo, se tornar uma economia moderna“, completa.

O diretor de Comunicação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Carlos Barreiros, destacou o sucesso do Prêmio CNI de Jornalismo em incentivar o debate sobre a economia brasileira na imprensa, que tem dedicado abordagens diárias dos temas afeitos à agenda de desenvolvimento nacional. “A solução dos problemas do país estaria mais distante não fosse o empenho dos meios de comunicação e de seus profissionais em promover esse debate”, ressaltou.

COMISSÃO JULGADORA – Ao todo, o Prêmio CNI de Jornalismo 2015 recebeu 675 inscrições de trabalhos de todo o país, número recorde. Dessas, 34 foram classificadas como finalistas por uma comissão de seleção, formada por nove jornalistas. Em seguida, outra comissão, composta por jornalistas de diferentes veículos, empresários da indústria e um acadêmico tiveram a função de escolher as campeãs em cada categoria. Entre os jurados, estava o jornalista especial da TV Globo, Marcelo Canellas. Segundo ele, foi um desafio de bastante reponsabilidade fazer escolhas no meio de tantas produções especiais.

Ainda bem que pude compartilhar essa tarefa com outras pessoas”, brincou. Canellas também ressaltou que o Prêmio traz um panorama do jornalismo nacional e ajuda a resgatar a importância das grandes reportagens. “Quando você faz um mergulho profundo em um tema, você resgata a tarefa mais importante do jornalismo, que é de provocar uma reflexão na sociedade. E existem vários exemplos no Prêmio desses mergulhos profundos. É muito alentador, mesmo em um período de crise, ver esse esforço de buscar grandes histórias”, afirmou.

PRÊMIOS – Os vencedores nas categorias Impresso Jornal, Impresso Revista, Telejornalismo, Radiojornalismo e Internet (sites e blogs), levaram R$ 25 mil cada. Para os destaques de cada região brasileira, o prêmio é de R$ 15 mil para cada. Nas modalidades especiais de Educação e Inovação, o valor é de R$ 30 mil. Para o Grande Prêmio, o valor é de R$ 50 mil. Ao todo, foram distribuídos R$ 310 mil em prêmios.

Veja abaixo a relação de todos os vencedores no Prêmio CNI de Jornalismo 2015. Logo após, confira o infográfico com as reportagens:

Destaque Regional Centro-Oeste
– Série “Um país de ressaca” – Correio Braziliense (vencedor)
– Tem dinheiro no lixo – Sustentabilidade – estilo de vida – TV Anhanguera
– Série “BR 040 – Quilômetros de desafios” – Rádio BandNews FM Brasília

Destaque Regional Nordeste
– Profissão: Perigo – Tribuna do Ceará
– Linhas Íntimas – Tribuna do Ceará
– Os fios que vencem a seca – TV Cabo Branco (vencedor)

Destaque Regional Norte
– Apanhador de açaí – TV Liberal (vencedor)
– Logística: Desafios & Perspectivas – PIM Amazônia
– Manejo de Pirarucu em Mamirauá – TV Amazonas

Destaque Regional Sudeste
– Série “Revitalização” – GloboNews
– Série “O Brasil que trabalha” – Folha de S.Paulo (vencedor)
– Série “Os Homens da Estrada” – Estado de Minas

Destaque Regional Sul
– A vida depois da crise – Revista Amanhã (vencedor)
O que está por trás do sucesso – Revista Amanhã
Série “BR-280: 7 anos da promessa” – A Notícia

Impresso Jornal
– Série “Quando o mar vira estrada” – O Globo (vencedor)
– Série “Quanto custa a felicidade” – Correio Braziliense
– Pedaços de mau caminho: Vale do Araguaia busca saída para o seu futuro – O Estado de S.Paulo

Impresso Revista
– Homem versus máquina – Exame
– Revolução silenciosa – Revista Muito, de A Tarde
– Chefe, sou gay – Exame (vencedor)

Internet
– Epidemia silenciosa – O Tempo Online
– Aprendizado que vale a pena: capacitação só chega a 3% dos presos no Brasil – Correio Braziliense Online
– Líquido e Incerto: O futuro dos recursos hídricos no Brasil – Folha de S. Paulo (vencedor)

Radiojornalismo
– Série “Futuro da indústria: inovação para sobreviver” – Rádio CBN Recife
– Brita sintética: do lixo para a indústria – Sistema Áudio Máster
– Série “Indústria em marcha lenta” – Rádio Jovem Pan (vencedor)

Telejornalismo
– São Paulo na era da reciclagem – GloboNews
– Série “Estado de seca” – EPTV Campinas
– Start Ups – TV Globo (vencedor)

Especial Educação
– Série “Ensino Superior – Um Sonho Interrompido” – Rádio BandNews FM Brasília
– Indústrias do Paraná se comprometem com a educação – TV Tibagi
– Revolução silenciosa – Revista Muito, do jornal A Tarde (vencedor)

Especial Inovação
– Ele precisa estar conectado? – INFO Exame
– Indústrias do futuro – TV Globo Minas
– Start Ups – TV Globo (vencedor)

Você também poderá gostar...